O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Quinta, 18
Julho de 2019

23/03/2019 - 08h36min

EUA acima de tudo

Ao proferir, na década de 1950, sua célebre teoria de que o brasileiro sofre de um “complexo de vira-latas”, o jornalista, escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues nos classificou como um “Narciso às avessas”. Ao contrário do personagem da mitologia que se apaixona pelo seu próprio reflexo, o brasileiro, na visão de Nelson Rodrigues, teria ojeriza ao que vê no espelho. Ao final do périplo feito aos Estados Unidos na sua primeira viagem internacional, o presidente Jair Bolsonaro e sua trupe parecem ter elevado ao máximo o “complexo de vira-latas” proposto por Nelson Rodrigues. Num excesso de deslumbramento, encantado com a presença do ídolo Donald Trump, o Brasil cedeu muito e recebeu muito pouco de volta. A muitos, ficou parecendo que Bolsonaro subvertia seu próprio slogan de campanha, que prega: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. No caso da viagem a Washington, a tônica pareceu ser: “Estados Unidos acima de tudo”. “É uma viagem para ser esquecida”, resumiu o historiador Marco Antonio Villa, na quarta-feira 20. “As constantes juras de amor aos Estados Unidos foram patéticas. Pairou no ar um deslumbramento nunca visto”, acrescentou. Ao final dos compromissos em Washington, Bolsonaro anunciou uma série de benesses aos norte-americanos, mas as contrapartidas americanas ficaram no campo das ideias e das promessas vagas.
Isto e